(Des)construindo crenças – parte 2

Continuando o post anterior, vamos voltar ao assunto: Crenças limitantes. Imagine que ao estar em um ambiente tóxico, onde os erros são apontados como uma falha e não como parte de um processo, e a todo momento em uma reunião seu líder lhe aponta como “culpado” você pode desenvolver uma Crença de “Não proativo” ou de “Incapacidade”.

O que precisamos entender é que agimos, em 95% das vezes, baseado em nossas programações. Isto mesmo, de forma inconsciente. Este entendimento é o primeiro passo para a mudança de nossos mindsets (Programações mentais). Como iremos corrigir algo que nem sabemos que está nos influenciando?

Como as crenças limitantes são criadas?

Em seu livro, “O poder sem limites”, Robins (2016) utiliza para crenças limitantes, o termo crenças enfraquecedoras. Tais crenças podem travar o desenvolvimento de qualquer pessoa ou levá-la a se afastar de suas metas. Você deve estar se perguntando: Mas como uma crença limitante é criada? Vamos a um exemplo que te dará um melhor entendimento:

Durante toda sua vida, você viveu meio a uma comunidade que brigas eram constantes. Uma comunidade onde as pessoas sempre falavam em voz alta e em tom de brigas. Em sua mente pode ter criado uma verdade de que isto é normal e você passa a se comportar desta mesma maneira em sua vida adulta. Esta pode ser considerada uma crença limitante, uma vez que as pessoas, geralmente, não gostam de conversar ou ter relacionamento com pessoas que agem desta maneira. Este fato pode fazer você se afastar de seus objetivos e algumas comunidades.

Uma dúvida que muitas pessoas possuem é: Mas como duas pessoas que viveram no mesmo ambiente (comunidade) podem ter percepções diferentes, crenças diferentes, verdades diferentes. É necessário entender que estas duas pessoas, mesmo que tenham vivido na mesma comunidade, tiveram outros estímulos fora da mesma. Segundo Robbins (2019) as crenças podem ser criadas pelo acaso, em momentos fora do ambiente que vive tradicionalmente ou dentro dele.

Além disso, cada um de nós tem o seu próprio olhar a respeito do mundo e, portanto, de cada experiência de vida. Além do ambiente, as crenças se fortalecem a partir das nossas percepções sobre o mesmo.

Como as crenças impactam o dia a dia nas organizações?

Vamos supor que durante sua infância, sempre que tentava algo que na sequência não funcionava, alguém te dizia: “desista, você está perdendo tempo tentando.” Em outras vezes, pessoas te diziam que nem precisava tentar, pois você já havia tentado algo semelhante e fracassou. Pronto! Crença implantada: “Se algo der errado da primeira vez, desisto, ou nem tento da próxima vez”.

Levando para o lado de uma organização, onde você desempenha um esforço diário para executar suas tarefas rotineiras, quando alguém te pede algo que está fora de seu conhecimento, você simplesmente já entra com a ideia que poderá não dar certo, e acaba aumentando as chances de não conseguir.

Agora suponha que um funcionário que viveu em um ambiente familiar, na infância, onde apanhava sempre que fazia algo errado. E que algumas vezes apanhava ouvindo berros, gritos de raiva. Este fato pode ter criado a crença, que sempre que esta pessoa errar será penalizada. Agora, na vida adulta, durante o trabalho seu chefe pede a esta pessoa para criar uma planilha em excel de controle de vendas baseada em uma campanha de publicidade que a empresa está realizando. Mas esta pessoa não é boa em excel (já fez um trabalho em excel que ficou ruim, na percepção dela) e sabe que seu chefe é exigente.

Consegue imaginar o que pode ser gerado na cabeça desta pessoa? Em muitos casos o funcionário diz que não sabe fazer e a tarefa pode ser passada para outra pessoas que, mesmo não sabendo irá em busca de soluções e obtenção do êxito. Dentro das organizações existem diversas pessoas com fortes crenças limitantes que podem estar afetando toda uma sinergia de um time.

Um dos papéis do líder, dentro das organizações, é encorajar seus liderados a darem o seu melhor para o alcance das metas. Considerando que cada colaborador tem seu papel e suas particularidades um bom líder precisa saber lidar com cada personalidade, que é ditada pelas crenças pessoais. Este é um desafio atual, conhecer cada um do time e fazer ações pontuais e outras globais, a fim de obter o máximo desempenho.

(Des)construindo crenças

O que são crenças? Todos nós somos programados para sermos o que somos, para pensarmos da forma que pensamos e ...

“Ninguém é insubstituível!” Será?

Já parou para pensar o que torna um funcionário indispensável? Eu sempre achei muito errado aquela frase "ninguém é insubstituível". ...

Os tipos de chefe que só atrapalham uma empresa

Recentemente tive o prazer de ler um artigo na Exame.com sobre os tipos de chefes que atrapalham a empresa. Resolvi replicá-lo aqui... ...

Comunicação é realmente o problema das organizações?

No momento em que o tema comunicação entra em pauta, comumente as primeiras propostas discutidas nas organizações dizem respeito às ...

One thought on “(Des)construindo crenças – parte 2

Comments are closed.